Erosão avança em área verde e pode atingir rua Estado do Rio Grande do Sul, SPSP

erosaoDesde 2014 o Jornal Estância vem alertando a Administração Municipal acerca de uma erosão nas proximidades da Ponte dos Pescadores, acesso ao bairro São Pedro e São Paulo, início da rua Estado do Rio Grande do Sul.

Com as chuvas ao longo dos anos, a situação ficou pior conforme apurado pela reportagem nesta semana. A cobrança já partiu também por diversas vezes do Legislativo, através do vereador Edemilson Santos, mas nenhuma atitude preventiva foi tomada pelo Executivo.

Se a intervenção tivesse ocorrido desde o primeiro momento do alerta, o trabalho seria minimizado, pois necessitava de ampliação da rede de água pluvial. Como isso não foi feito, se tornou uma cratera gigantesca que já desbarrancou a área verde, além de ter tombado uma árvore de porte grande, entre outras pequenas, e ainda, lançou para o buraco uma tubulação.

Com o descaso da Administração em resolver a demanda, está levando assoreamento para o rio Tietê e comprometendo a rua Estado do Rio Grande do Sul e possivelmente na ponte.

CÓRREGO GUARAÚ – Há 1 mês o JE fez novamente um alerta a respeito do assoreamento do Córrego Guaraú. Grande trecho está sendo condenado por falta de políticas preventivas no leito.

Segundo o colunista deste jornal, o biólogo e professor Cleusson B. Bortoleto, em seu artigo divulgado no dia 12/3, muitas áreas de preservação dos córregos sofrem com o descaso, seja pela pouca cobertura vegetal, ou servem de bota fora para materiais de construção e outros resíduos sólidos. As águas, com sua violência, promovem a retirada do solo, pois o mesmo não possui raízes mais profundas oriundas da vegetação chamada mata ciliar, ou a mata que deveria estar às margens dos cursos hídricos.  Este solo sendo retirado na parte de baixo pela força das águas, a parte superior desbarranca, assim ampliando o leito e assoreando do seu curso.

“As medidas devem ser tomadas sim, e rápido, tanto na preservação das margens como para melhorar a qualidade das águas, pois um dia poderemos precisar delas. Especialistas da área podem fazer o laudo e definir medidas preventivas para contenção ou minimização das erosões, e buscar alternativas plausíveis para tais ações”, segundo consta no artigo publicado.

 

 

Leave a Reply

Your email address will not be published.

Inscreva-se