Uma cidade, um homem, várias histórias

EttoreTodos os dias eles se encontram

Se olham, se amam

e se fundem até mais não saberem

com tanto se darem,

quem é o homem

e quem é a cidade.

 (Valderez Antônio Bergamo da Silva)

O final do mês de março tornou-se um período especial para a cidade de Salto. No dia 31 se comemora mais um aniversário de um de seus filhos mais Ilustres, o historiador Ettore Liberalesso. A história do escritor saltense confunde-se com a da própria cidade. Até mesmo a coluna “Memória Saltense”, onde se busca manter viva as ricas memórias da cidade, desfruta das pesquisas desse grande historiador.

Ettore nasceu em 1920 e presenciou importantes acontecimentos vividos na cidade de Salto. Na infância cursou entre os anos de 1928 e 1931 o então Grupo Escolar de Salto, hoje Escola Estadual Tancredo do Amaral. Em sua obra “Ettore, autobiografia mesclada à História”, o autor narra o início de sua trajetória estudantil onde se lembra com muito carinho de professores como Dona Benedita Rezende, Alice Barbeito, Antônio Berreta e José de Paula Santos.

Já nos anos de 1933 e 1934, o jovem Ettore começa a trabalhar para um senhor bem conhecido na cidade, um homem culto e esclarecido, chamado Jorge de Souza, o qual em função de sua necessidade visual, pagava um determinado valor para que o jovem fizesse a leitura diária do jornal “O Estado de São Paulo”. Com o valor recebido comprava revistas, assinava jornal e frequentemente ia ao cinema local.

Ao longo de sua vida, Ettore Liberalesso teve vários afazeres, porém queremos ressaltar a importância desse cidadão saltense para a história e a memória da cidade, com os inúmeros exemplos de amor respeito e identificação deste que desde muito jovem buscou com prazer o conhecimento.

A cada manhã a cidade se ilumina

Pelos olhos do amante…

 (Valderez Antônio Bergamo da Silva)

Produzido por GEPH

Autores: Emerson Bastos, Isaque Ribeiro, Marco Ribeiro, Natan Coleta, Rodrigo Alvaren

 

Leave a Reply

Your email address will not be published.

Inscreva-se