Estudantes são deixados em estrada rural pelo transporte escolar, distantes de suas casas e correndo riscos

01Nesta semana, os pais Eliane de Góes e Valter Marques Correia de Silva, moradores da Estrada do Lajeado, região afastada da cidade, estiveram no JE denunciando a situação que vem ocorrendo envolvendo seus filhos estudantes, com idades 8, 11 e 15 anos. Ocorre que os três filhos utilizam o transporte escolar fornecido pela Prefeitura Municipal, no entanto, há dias os filhos estão deixando de ir para a escola por conta que o transporte os deixou a 800 metros de distância, correndo riscos e quase sendo atacados por cachorros bravos.

Segundo os pais, o motorista alega que a estrada é de difícil tráfego e não consegue manobrar, especialmente em dias de chuva, por isso, os estudantes são obrigados a desembarcar distantes do ponto e correm riscos.

O filho Bryan, de 8 anos, estuda de manhã no CEMUS I; as filhas Pâmela, de 11 anos, e Paloma, 15 anos, estudam no Acylino A. Gurgel, sendo tarde e manhã. “No ano passado não tivemos problemas, o motorista passava na estrada normalmente, neste ano a máquina já arrumou a estrada e desde a semana passada meus filhos não estão indo à escola. Procuramos a Secretaria da Educação que alegou que nada podia fazer; procurei o Conselho Tutelar que prometeu enviar uma carta nas escolas justificando as faltas, mas eu liguei nas escolas e desconheciam”, disse a mãe Eliane.

O JE questionou a Secretaria da Educação, a qual esclarece que as crianças só não têm sido deixadas no local habitual devido às condições da estrada. O excesso de chuva tem prejudicado o local, mesmo após as constantes manutenções realizadas pela Secretaria Municipal de Obras e Serviços Públicos. A previsão era de que a manutenção seria realizada nesta quinta (10/3), porém o serviço teve de ser adiado, por causa da chuva.

 

 

Leave a Reply

Your email address will not be published.

Inscreva-se