Dando Milho aos Pombos!

MEIO AMBIENTEBom dia,  caros leitores! É comum vermos em grandes praças de grandes cidades, aquele bando de lindos pombos. Pessoas alimentando-os, com pães, farelos e resto de comida, crianças correndo entre ele para vê-los voar, e muitas vezes pessoas que os alimentam nestas mesmas praças e ruas, e durante este pequeno período até conversam com eles, dando-lhes nomes, como grandes amigos.

Nem imaginam o perigo destes atos a própria saúde e a saúde pública. Mas os pombos que simbolizam a PAZ, que foram usados como mensageiros nas duas Grandes Guerras? Sim eles mesmos, conhecidos naturalmente como Columba livia domestica, ou Pombo urbano.

Para os especialistas na área da Saúde e Meio Ambiente, ele é conhecido como “rato de asas”, devido as doenças que pode transmitir aos seres humanos e animais domésticos, podendo leva-los a óbito. O contato involuntário com as fezes dos pombos é a principal maneira de correr o risco de contrair doenças graves, como a CRIPTOCOCOSE (que pode resultar em pneumonia e meningite).

No Brasil e em outros países, ele é considerado como praga urbana, não só por transmitir doenças graves, mas por causarem problemas ambientais, na competição por alimento e espaço com aves nativas da região, e por provocarem problemas de cunho econômico, devido a suas fezes ácidas estragarem pinturas dos carros, estragam monumentos e entopem calhas causando infiltrações em edificações.

O próprio IBAMA os reconhece como praga e recomenda em sua normativa, o seu manejo. Em último caso, se houver confirmação de haver foco de doenças, é necessário captura-los e abate-los conforme métodos humanitários, sem impor sofrimento.

Entre as doenças transmitidas pelos pombos estão a TOXOPLASMOSE, HISTOPLASMOSE e a ORNITOSE, além de bactérias como a SALMONELA  e as DERMATITESN, causadas por parasitas chamados de “piolho de pombo”. Uma das doenças mais graves é a CRIPTOCOCOSE, infecciosa, ela é provocada por um fungo encontrado em frutas, cereais, árvores e nas fezes de pombos, que é o principal vetor da doença.

Mas se alguém teve contato com pombos domésticos e sentir febre alta, calafrios e dor de cabeça, deve procurar um médico urgente para evitar infecções por fungos, ou infecções pulmonares. Locais que possuam fezes de pombos depositadas, como chão, Janelas e calçadas devem ser molhados com água e cloro e deixar agir por aproximadamente uma hora. Pessoas que tem contato direto com estas aves, devem usar luvas e máscaras protetoras.

Parte desta matéria foi pesquisada na Revista “ O Biólogo”, do Conselho Regional de Biologia de São Paulo. Devido a gravidade deste assunto, que venho alertando desde o ano passado, cheguei a comentar em outras matérias que é crime ambiental e contra a saúde pública, alimentar os pombos, descrito em LEI.

Espero que as pessoas desta cidade, conscientizem-se deste ato que parece tão simples e lindo “Dar Milho aos Pombos”, esconde um grande perigo para nós e os animais domésticos.

Lembrando, quando falo dos animais domésticos, principalmente os cães, pois os pombos costumam roubar a ração deles em seu quintal, podendo defecar no local, assim transmitindo estas doenças aos cães. Ainda está em estudo se estes representantes da PAZ, estão suscetíveis aos sorotipos da gripe aviária, como relatado em trecho de revista “O Biólogo”.

Embora pesquisa tenha demonstrado que os pombos adultos não são suscetíveis ao vírus mais perigoso da gripe aviária, o sorotipo H5N1, outros estudos mostraram sinais clínicos e lesões neurológicas nos pombos decorrentes da infecção pelo mesmo vírus. Outros estudos, porém, revelaram que os pombos são afetados pelo vírus sorotipo H7N1. Portanto tenha cuidado com as belas revoadas de pombos nas praças, que atraem tanto as famílias, principalmente as crianças.”

Em todo caso, tome cuidado para não confundir os Pombos domésticos com Pombos de nossa fauna, pois neste caso, chame um especialista para resolver seu problema.

 

Leave a Reply

Your email address will not be published.

Inscreva-se